Diálogo com a comunidade - Jornal Sinal Verde

um canal de comunicação com a comunidade

Volume 4 - 10/09/2007

Edições Anteriores



IMPRIMIR


Perguntas dos leitores:

Tire suas dúvidas. Mande-nos suas sua pergunta!
Este é um espaço para vc fazer perguntas, esclarecer suas dúvidas e curiosidades. Mande sua pergunta para nós!

Envie sua pergunta:clique aqui

Jornal - Sinal Verde
O que é Terapia por Contingências de Reforçamento (TCR)?

Terapia por Contingências de Reforçamento é uma nomeação puramente descritiva. É um termo que foi elaborado sob controle exatamente daquilo que o Terapeuta Comportamental com orientação em Análise do Comportamento faz na interação psicoterapêutica, ou seja, lidar o tempo todo com as contingências de reforçamento que determinam comportamentos e sentimentos das pessoas.

A Terapia por Contingências de Reforçamento (TCR) é um processo psicoterapêutico voltado para pessoas de todas as faixas etárias, e plenamente apto para lidar com quaisquer problemas psicológicos, emocionais e afetivos, tais como distúrbios alimentares (anorexia, bulimia, excesso de peso), ansiedade, doença do pânico, depressão, fobias, timidez, dificuldades nas interações sociais, baixa auto-estima, dependência química (álcool e outras drogas), relacionamento conjugal e familiar, dificuldades profissionais, transtorno obsessivo-compulsivo, dificuldades afetivas e sexuais, relacionamentos entre pais e filhos, problemas que ocorrem com crianças (ciúmes, agressividade, birras etc), dificuldades escolares etc. Enfim, todos os aspectos psicológicos, emocionais e afetivos que perturbam o ser humano são objeto de nosso interesse e desafiam nossa dedicação profissional. O objetivo central da TCR é promover o desenvolvimento do ser humano em sua totalidade, como antídoto contra problemas afetivos e comportamentais.

A capacidade de entender o que se passa na cabeça dos seres humanos em nada lhes altera a complexidade, apenas diminui o seu mistério. A dificuldade que o psicoterapeuta encontra, para ajudar o ser humano a trilhar um percurso mais ameno, atesta mais sobre as limitações do profissional e sobre os limites dos conhecimentos disponíveis. E, talvez, mais importante ainda, atesta que o cliente é um ser que pode trilhar seu caminho sob influência do que tal caminhar produz, e não sob influência do que o outro lhe diz. É possível que, no início, quando as sombras são densas e o sofrimento atroz, ouvir alguém ofereça um norte. Só no início, porém! Constatar que são imensas as dificuldades para lidar com o ser humano, porém, não é evidência de que o comportamento humano é objeto de estudo distinto dos fenômenos naturais. Com o avançar dos conhecimentos sobre os comportamentos humanos, as queixas deixam de ser elementos indistintos nas sombras e se tornam imagens iluminadas para um observador atento.

A TCR é uma forma de psicoterapia (comportamental) que se baseia na Ciência do Comportamento(CC) e no Behaviorismo Radical (BR), ambos fundamentados nos trabalhos experimentais e conceituais de B.F.Skinner (1904-1990). Skinner não foi psicoterapeuta; portanto, não nos legou um modelo de processo psicoterapêutico. Suas contribuições permitiram, no entanto, generalizar dados, procedimentos e conceitos, gerados em condições de pesquisas conduzidas com rigor metodológico, para o contexto clínico. Os resultados dos trabalhos psicoterapêuticos, orientados sob tais fundamentos skinnerianos, testemunham a adequacidade da proposta psicoterapêutica aqui exposta. A TCR foi sistematizada e nomeada por Hélio José Guilhardi.

Hélio José Guilhardi

Hélio José Guilhardi
CRP: 06/918
Mestre em Psicologia Experimental pela USP

Jornal - Sinal Verde
O que são metacontingências?
(pergunta enviada por Paulo Geovani Iberti Jabaly, estudante de Psicologia, de Salvador - BA)

O termo metacontingência foi criado por Sigrid Glenn na década de 80, é bastante complexo e causa muita polêmica entre estudiosos da área da análise do comportamento. Para Glenn, as metacontingências estão para a cultura assim como as contingências de reforçamento estão para o comportamento operante, são as metacontingências as responsáveis pela seleção de práticas culturais nas sociedades.

Para facilitar o entendimento, acho relevante distinguirmos contingências de metacontingências:
- Contingência de reforçamento é a unidade de análise que descreve as relações funcionais entre o comportamento operante e o ambiente com o qual o organismo interage, ou seja, são relações de contingência entre uma classe de respostas com uma conseqüência comum. Um exemplo de classe de operantes freqüentemente usados é o grupo de respostas (com diferentes topografias) que leva a abrir uma porta: as pessoas incluiriam em tal caso bater, chamar alguém, virar a maçaneta e empurrar, inserir e virar uma chave etc. A conseqüência reforçadora é imediata: porta aberta, por exemplo.
- Metacontingência é a unidade de análise que descreve as relações funcionais entre uma classe de operantes, cada operante tendo sua própria conseqüência, única e imediata, e uma outra conseqüência comum de longo prazo para todos os operantes da metacontingência. Metacontingências devem ser mediadas por contingências de reforçamento socialmente arranjadas, pois envolvem comportamentos com conseqüências atrasadas. Pegue, como exemplo, os vários comportamentos na produção da conseqüência atrasada de redução da poluição do ar. Os engenheiros precisam se engajar em vários operantes, envolvidos no projeto de conversores catalíticos; os trabalhadores de linha de montagem precisam aprender a construí-los e a integrá-los aos carros; os consumidores precisam comprar tais carros e abastecê-los com combustíveis menos poluentes; os funcionários das refinarias precisam desenvolver e usar o processo de produção da gasolina menos poluente. A probabilidade de ocorrência de todos esses operantes, sem a mediação de contingências sociais (campanhas sociais ou incentivos a comportamentos ecologicamente corretos, por exemplo), parece ser pequena. Isso porque há uma grande distância no tempo entre as ações (comportamentos pró-ambiente) e os resultados (diminuição da poluição do ar).

Segundo Glenn (1986), uma solução mais provável, para alcançarmos um mundo melhor, pode estar no arranjo de melhores metacontingências em nossos ambientes atuais.


Referência Bibliográfica:

Glenn, S.S. (1986). Metacontingencies in Walden Two. In Behavior Analysis and Social Action, 5, ns.1&2. Traduzido por Thais Saglietti Meira Barros, com revisão de Hélio José Guilhardi e Noreen Campbell de Aguirre, para uso dos grupos de estudo e supervisão do Instituto de Terapia por Contingências de Reforçamento - Campinas.


Thais Saglietti Meira Barros

Thais Saglietti Meira Barros
CRP: 06/79307
Especialista em Terapia por Contingências de Reforçamento - ITCR Campinas

Jornal - Sinal Verde

"Triunfar sobre a natureza e sobre si mesmo, sim. Mas sobre os outros, nunca."

(Skinner, B.F. 1948/1968. Walden Two, p.103)

Jornal - Sinal Verde
Produtos à venda

Já se encontra disponível o DVD da Formatura da 1ª Turma (turma 2005-2006) do Curso de Especialização em Terapia Comportamental - Terapia por Contingências de Reforçamento (TCR). Encomendas através dos fones: (19) 3294-8544/3294-1960; falar com Sílvia Silva. Valor do DVD: R$ 25,00 + frete.

Jornal - Sinal Verde

Quaisquer perguntas, dúvidas, sugestões, críticas favor preencher os campos abaixo:

Nome
Cidade
Estado
Telefone com DDD
Celular com DDD
E-mail
Identificação Pessoal

Psicologo

Estudante de psicologia

Outros

Comentários e sugestões
Você autoriza a divulgação de seu nome neste site, junto com a reposta a sua pergunta? SIMNÃO



Jornal - Sinal Verde
Instituto de Terapia por Contingências de Reforçamento

Rua Josefina Sarmento, 395, Cambuí - Campinas - SP
Fones: (19) 3294-1960/ 3294-8544
Clique aqui para entrar em contato

Página Inicial | Edições Anteriores | Voltar | Subir | Fechar

Jornal - Sinal Verde
Copyright © terapiaporcontingencias.com.br | Todos os direitos reservados.